≡ Menu

Email-Alerta das Oportunidades da Bolsa

Saiba o momento exato de comprar e vender suas ações.
Cadastre-se GRÁTIS. NUNCA enviamos spam.

10 Segredos Sobre Ondas De Elliott Que Todos Os Traders Deveriam Saber: Um Guia Indispensável

{ 49 comments }

 

Olá, leitores!

 

Eu sou André Mendonça, CNPI-T, Analista Técnico da ElliottBrasil e nesta estréia desse novo site da ElliottBrasil resolvi escrever este artigo dos “10 Segredos Sobre Ondas De Elliott Que Todos Os Traders Deveriam Saber”.

 

Veja abaixo os 10 tópicos que irei abordar:

 

1)    O que é Teoria das Ondas de Elliott

2)    Relação entre a Teoria de Dow e Ondas de Elliott

3)    Como é o padrão geométrico (fractal) das Ondas de Elliott

4)    Por que os gráficos das ações apresentam padrões?

5)    Quem são os participantes do mercado responsáveis pelas formações dos padrões?

6)    Teoria de Elliott, Teoria dos Caos, e Teoria dos Fractais.

7)    Entenda a geometria fractal dos preços dentro do contexto das Ondas de Elliott

8)    Por que fazer o mapeamento das Ondas de Elliott ?

9)    Uma crítica muito recorrente as Ondas de Elliott

10)  É possível fazer day trade? Quais os tempos gráficos mais recomendáveis?

 

Continue lendo esse artigo e bons investimentos!

 

Então vamos lá aos 10 tópicos.

 

10 | O que é Teoria das Ondas de Elliott

 

Pertencente a um dos campos de atuação da Análise Gráfica (ou Análise Técnica), a Teoria das Ondas de Elliott é uma metodologia que visa mapear os ciclos de uma série histórica de preços de uma ação (ou qualquer outro instrumento financeiro) afim de se obter um entendimento da dinâmica dos preços no momento presente, projetar futuros possíveis cenários, e, consequentemente, auxiliar na tomada de decisão de compra ou venda. Inclusive existem softwares de análise técnica que conseguem ajudar a rastrear automaticamente esses ciclos.

 

20 | Relação entre a Teoria de Dow e Ondas de Elliott

Apesar de pouca gente comentar, você sabia que a Teoria das Ondas de Elliott tem alguns pontos em comuns com a Teoria de Dow?

 

Nas minhas pesquisas, depois de ter lido muitos livros sobre análise técnica e muitos anos de prática (desde 2000), ressalto que todos os analistas técnicos deveriam saber o que é Teoria de Dow e também Teoria das Ondas de Elliott.

 

Apesar de terem abordagens distintas, essas duas escolas tem seus pontos em comum.

 

Para simplificar essa comparação decidi construir a tabela abaixo.

 

 Teoria de DowTeoria das Ondas de Elliott
Criador da TeoriaCharles Henry Dow (1851-1902).Ralph Nelson Elliott (1871-1948).
Início dos estudosAproximadamente no ano de 1900.Aproximadamente no ano de 1934.
Primeiro livro publicado sobre o assuntoAno de 1922. Por Willian Peter Hamilton: “The Stock Market Barometer”.Ano de 1938. Por Charles Collins: "The Wave Principle".
TendênciasHá 3 tipos de tendência: primária, secundária e terciária.Em Ondas de Elliott podemos trabalhar com o mesmo princípio, apesar de não haver referências diretas sobre essa questão.
Qual é a origem dos movimentos dos preçosA razão (fundamentos) e a emoção (medo e ganância). A razão (fundamentos) e a emoção (medo e ganância). Porém, aqui a diferença é que as Ondas de Elliott dá uma atenção especial e detalhada para a questão da emoção, que fica impressa nos gráficos através de padrões da geometria fractal.
Principais padrões e/ou ferramentasZigue zague, topos e fundos, linha de tendência.Zigue zague, topos e fundos, linha de tendência, fibonacci, ciclo 12345abc (padrão gráfico fractal).
Limite/objetivo de uma tendênciaNão se preocupa em encontrar um limite/objetivo para o término de uma tendência. Em teoria "o céu é o limite".Através das regras das Ondas de Elliott e Fibonacci busca-se mapear áreas de reversão das tendências para se antecipar a mudança de direção dos preços.
Estratégia no tempoDá maior importância para os movimentos de longo prazo produzidos pela tendência primária, isto é, gráfico mensal, visto que o gráfico semanal e o diário são suscetíveis a manipulação.Dá importância igual para qualquer períodicidade (do intraday ao mensal), visto que possui mais ferramentas de apoio (ex: fibonacci), e uma metodologia mais versátil que permite análise do curtíssimo a longo prazo.
Sobre manipulação dos preçosA tendência primária é inviolável. Já a tendência secundária e terciária (principalmente a última) são suscetíveis a manipulação.Apesar da possibilidade de manipulação, essa metodologia não dá ênfase a esse fato pois possui recursos para se previnir contra movimentos súbitos e voláteis.
Para quem se destinaPara o investidores que visam operações de longo prazo.Para investidores e traders que visão operações desde curtíssmo (day trade) a longo prazo.

 

Fonte: Kirkpatrick II, Charles D.; Julie R. Dahlquist (2010-11-08). Technical Analysis: The Complete Resource for Financial Market Technicians (2nd Edition) (p. 26). Pearson Education. Kindle Edition.

 

30 | Como é o padrão geométrico (fractal) das Ondas de Elliott

 

Quem já leu alguma coisa sobre a ciência dos fenômenos caóticos (Teoria do Caos) e sobre Teoria dos Fractais sabe que o mercado de capitais também está inserido nesse contexto, por isso, o gráfico de qualquer ativo negociado na bolsa apresenta estruturas geométricas semelhantes que se repetem indefinidamente e em diferentes escalas.

 

Abaixo segue o padrão geométrico “perfeito” (fractal) de Elliott.

 

Ondas de Elliott - Padrão

Este é o padrão 12345abc da Teoria das Ondas de Elliott

 

Ressalto que o gráfico acima é um fractal “perfeito”. Porém, na prática, os gráficos dos mercado de capitais são formados por fractais IMperfeitos. E isso significa que teremos que utilizar essa referência “perfeita” para fazemos o mapeamento de um padrão imperfeito.

 

Veja os exemplos abaixo:

 

ITUB4 no gráfico diário com o padrão das Ondas de Elliott

ITUB4 no gráfico diário com o padrão das Ondas de Elliott

 

 

Míni Índice Ibovespa Futuro no intraday (gráfico de 5 min). Padrão Ondas de Elliott. Fonte: ElliottBrasil.com

Míni Índice Ibovespa Futuro no intraday (gráfico de 5 min). Padrão Ondas de Elliott. Fonte: ElliottBrasil.com

 

 

Ondas-de-Elliott-exemplo-03

BVMF3 no gráfico semanal.

 

Para o “marinheiro de primeira viagem” essa imperfeição pode assustar um pouco, pois em muitas situações o padrão é bastante irregular. Por isso há traders que criticam dizendo que essa imperfeição traz muita subjetividade para a análise e etc. De uma certa forma eu até posso concordar com tal crítica caso a análise do mapeamento for feita APENAS através da percepção visual.

 

A percepção visual deve ser uma das ferramentas para você fundamentar o mapeamento de um fractal. No entanto você não deve se limitar somente a uma ferramenta/recurso para tomada de decisão. Dessa forma, para que você faça um mapeamento bem fundamentado, e assim eliminar a tal da subjetividade, é necessário conhecer bem os principais recursos e ferramentas que irão permitir que você chegue numa conclusão mais confiáveis estatisticamente.

 

Abaixo seguem os principais recurso/ferramentas que um bom elliottista na maioria das vezes irá precisar dominar:

 

a)      Regras das Ondas de Elliott

b)      Conceito amplo de fractal (do intraday ao mensal)

c)       Estatística de cada onda do padrão

d)      Fibonacci de retração

e)      Fibonacci de expansão

f)       Zigue zague

g)      Indicadores do tipo “momentum” da Análise Técnica

 

 

40 | Por que os gráficos das ações apresentam padrões?

 

Na verdade, como eu já disse, esses padrões aparecem não só nas ações, mas também em qualquer ativo negociado na bolsa, como por exemplo: índices, derivativos, moedas, commodities, ETFs, fundos imobiliários, etc.

 

Tais padrões gráficos nada mais são do que reflexos dos padrões comportamentais gerados pelo emocional e racional do coletivo (participantes do mercado). Por isso, um padrão gráfico tende a se repetir ao longo do tempo da mesma forma que padrão comportamental se repete em um indivíduo ou coletivo.

 

Padrao-da-teoria-das-ondas-de-elliott-detalhada

 

A tendência é motivada mais pela razão enquanto que as oscilações intermediárias são ruídos causados principalmente pelas emoções.

 

 

50 | Quem são os participantes do mercado responsáveis pelas formações dos padrões nos gráficos?

 

Os participantes do mercado responsáveis pelas formações dos padrões gráficos se dividem em 2 grupos:

 

  • Grupo dos informados: traders profissionais, positions traders, hedge found managers, profissionais de arbitragens, e insiders
  • Grupo dos desinformados: traders e investidores que agem de forma irracinal ou sem técnica

 

O grupo dos informados supõe-se que eles interpretam a nova informação racionalmente e ajustam o preço do ativo para o ponto de equilíbrio rapidamente.

 

Já o grupo dos desinformados, também conhecidos como “noise players”, agem de acordo com a emoção, o que acaba trazendo uma volatilidade mais alta para o ativo.

 

Logo a união desses dois grupo puxando o preço para cima e para baixo acaba provocando um verdadeiro caos na direção dos preços. E é ai que entra a Teoria do Caos.

 

 

60 | Teoria de Elliott, Teoria dos Caos, e Teoria dos Fractais.

 

A Teoria das Ondas de Elliott está inserida no contexto da ciência da Teoria do Caos e da Teoria dos Fractais.

 

A Teoria do Caos é a ciência que estuda os fenômenos caóticos, complexos e dinâmicos, com a finalidade de realizar previsões.

 

O que as pessoas pensam que é acaso, na realidade, é um fenômeno que pode ser representado por equações. Os cálculos envolvendo a Teoria do Caos são utilizados para descrever e entender fenômenos meteorológicos, crescimento de populações, movimentos de placas tectônicas, variações no mercado de capitais, entre outros.

 

Já a Teoria dos Fractais pode-se dizer que ela é uma ramificação da Teoria do Caos que determina a evolução dos sistemas caóticos.

 

E de acordo com essas ciências, todo o fenômeno caótico possui padrões (fractais) que se repetem indefinidamente, em diferentes escalas, e com proporções semelhantes. Existem vários exemplos desses fenômenos, como o da formação da neve, das tempestades, dos furacões, das galáxias, etc… Mas eu vou pegar um exemplo clássico, que é o da flôr do brócolis.

 

Flôr do brócolis

Brocolis-padrao-ondas-de-elliott-01

 

A primeira vista, quando você observa a flôr do brocolis, você tem a impressão que cada brotinho tem um tamanho qualquer, e que eles cresceram aleatoriamente em um universo aparentemente caótico.

 

Entretanto, repare que o pequenino broto (padrão) da figura acima tem a mesma semelhança e proporção que os brotos maiores. Porém cada um está em escala diferente.

 

O broto pequenino foi se desenvolvendo até surgir o segundo broto; o segundo foi se desenvolvendo até formar o terceiro que por sua vez foi se desenvolvendo até que encontramos a flôr do brócolis completa.

 

Esse fenômenos de repetição de padrões em diferentes escalas é o que chamamos de Teoria dos Fractais. Isso também ocorre no mercado de capitais.

 

 

70 | Entenda a geometria fractal dos preços dentro do contexto das Ondas de Elliott?

 

Essa dinâmica que vimos no caso do brócolis, de um padrão pequeno se desenvolvendo para construir um padrão maior, está presente em todos os fenômenos caótico, inclusive nos gráficos dos ativos negociados nas bolsas.

 

Cada fenômeno caótico tem o seu padrão característico que se repete, também conhecido como fractal. E no mercado de capitais essa repetição em diferentes escalas acaba ocasionando a formação de uma figura mais complexa como você pode ver a seguir.

 

Padrao da teoria das ondas de elliott no curto, medio, longo prazo

 

Note que o ciclo 12345abc se repete várias vezes para cima, para baixo e em tamanhos diferentes.

 

E mais uma vez eu chamo a atenção para o fato da figura acima ser um padrão teórico, no qual seu objetivo principal é servir como referência para o momento que você for fazer um mapeamento de um ativo real ou elaborar estratégias.

 

Abaixo você poderá ver um exemplo real de mapeamento das Ondas de Elliott em 2 níveis da ação BBDC4.

 

BBDC4 com o padrão de Ondas de Elliott

 

 

80 | Por que fazer o mapeamento das Ondas de Elliott?

 

 

Indo direto ao ponto…

 

O mapeamento das Ondas de Elliott é feito em um gráfico justamente para se saber em que fase o preço está dentro do contexto do fractal, afim de montar uma estratégia apostando na alta ou na baixa.

 

Exemplo 1

 

Se você fizer uma análise técnica (com foco em Ondas de Elliott) de um ativo e todo o seu ferramental estiver indicando que a atual queda tem grandes chances de ser o final uma onda 4, então, qual seria o movimento mais provável para o preço no futuro após o término dessa onda 4?

 

final da onda 4, teoria das ondas de elliott

 

Resposta: O movimento mais provável seria na direção para cima para construir uma onda 5.

teoria das ondas de elliott na onda 5

 

 

Ai você me pergunta: E como eu posso ganhar dinheiro com isso??

 

Bom, se todo os seus indicadores realmente estão confirmando que aquela região tem grandes chances de ser o final da onda 4, você ali poderá montar uma estratégia de compra apostando em um cenário de alta que seria um movimento de uma onda 5. É simples assim.

 

Padrao-ondas-de-elliott-06

 

 

Os dois gráficos seguintes são de um exemplo real aplicado a Brasil Foods (BRFS3).

 

BRFS3: Gráfico 1

Ondas de Elliott no gráfico BRFS3

 

BRFS3: Gráfico 2 (continuação)

 

Ondas de Elliott no gráfico BRFS3 - (2)

 

Exemplo 2

 

Da mesma forma… se você fizer uma análise técnica (com foco em Ondas de Elliott) de um ativo e todo o seu ferramental estiver indicando que a atual momento tem grandes chances de ser uma onda 1 com uma onda 2, então, qual seria o movimento mais provável para o preço no futuro após o término dessa onda 2?

 

Padrao-ondas-de-elliott-07

 

Resposta: O movimento mais provável seria na direção para cima para construir uma onda 3, depois uma onda 4, e depois uma onda 5.

 

Padrao-ondas-de-elliott-08

 

Ai você me pergunta: E como eu posso ganhar dinheiro com isso??

 

Bom, se todo os seus indicadores realmente estão confirmando que aquela região tem grandes chances de ser o final da onda 2, você ali poderá montar uma estratégia de compra apostando em um cenário de alta que seria um movimento de uma onda 3. É simples assim.

 

Os dois gráficos seguintes são de um exemplo real aplicado à CSN (CSNA3).

 

CSNA3: Gráfico 1

 

Ondas de Elliott no gráfico CSNA3

 

 

CSNA3: Gráfico 2

 

Ondas de Elliott no gráfico CSNA3 - (2)

 

 

90 | Uma crítica muito recorrente as Ondas de Elliott

 

 

Uma das “reclamações” mais comum que algumas pessoas fazem sobre esse método é que o padrão geométrico das Ondas de Elliott (12345abc) só é identificável quando ele já foi construído, por isso, não seria possível utilizar esse tipo de estratégia.

 

Bom, o que eu tenho para dizer é que a própria crítica é contraditória. Isso porque ao mesmo tempo que ela afirma que Ondas de Elliott não funciona, a tal crítica acaba admitindo que o padrão é de fato reconhecível.

 

E se é possível visualizar o padrão de Elliott nos gráficos, é possível tomar decisões baseadas no fractal.

 

Por exemplo:

 

O fractal se repete, correto?

 

Então me diga o que vem depois de ciclo 12345abc?

 

Padrao-ondas-de-elliott-09

 

Resposta: Um novo 12345abc. Pronto! Monte uma estratégia para operar esse próximo 12345abc. Compreendeu? É simples!

 

É claro que quem faz esse tipo de crítica nunca se aprofundou no tema. Anyway… no problem…

 

 

10. É possível fazer day trade? Quais os tempos gráficos mais recomendáveis para day trade, swing trade e position?

 

Sim. Claro que é possível fazer day trade.

 

Você encontrará o fractal em todas as periodicidades. A metodologia é muito versátil.

 

Para day trade os períodos gráficos que eu recomendo são:

 

a)      3 min

b)      5 min (meu preferido)

c)       15 min (nem sempre dá para fazer day trade com este)

 

 

Para swing trade os que eu recomendo são:

 

a)      60 min

b)      200 min

c)       Diário

 

 

Para operações com prazo operacional acima de 3 meses recomendo as seguintes periodicidades:

 

a)      Diário

b)      Semanal

c)       Mensal (definitivamente este é para longo prazo)

 

 

 

Você gostou deste artigo sobre as Ondas de Elliott?

 

Se gostou, por favor compartilhe com os seus amigos.

 

Então é isso. Espero que eu tenha conseguido esclarecer pelo menos uma parte de suas dúvidas.

 

Fique à vontade para fazer seus comentário no campo abaixo e tirar suas dúvidas em relação ao assunto.

 

Abraços e bons investimentos!

 

André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

Mestrado em Investimentos e Finanças – Queen Mary University of London
MBA em Finanças – IBMEC
CNPI-T – Certificado de Analista de Investimentos, APIMEC
Aprovado no exame internacional CMT Level 1 (www.mta.org)

 

 

– –

 

»  Veja também:

 

 

– –

 

 



  • ElliottBrasil

    Pessoal, Fiquem a vontade em deixar o seu comentário aqui. Gde abraço, André Mendonça, MBA, CNPI-T

  • Marcelo Dornelles

    Muito boa explicação. Fiquei apenas com uma dúvida: se o padrão se repete de modo ascendente implica em dizer que no longo prazo o mercado será sempre crescente e que as aparentes tendência de baixa se dão nos fractais menores. É isso? Se sim, posso concluir que uma crescente participação das pessoas físicas e demais players que ajudam na liquidez produzem essa onda ascendente.

    • Olá, Marcelo!

      Obrigado pela sua participação.

      Está correto o seu raciocínio. A natureza factal é ascendente, pois o ser humano sempre busca a evolução.

      Sobre o aumento da liquidez, em princípio, ela está associada com a euforia, isto é, bull market (tendência primária de alta da Teoria de Dow). Quanto mais sobe, mais participantes entram no mercado, pois, em teoria, há menos riscos e mais recompensa.

      Um abraço,

      André Mendonça, CNPI-T, MBA

      • Sandro Rogério

        Olá Marcelo,
        tenho apenas uma ressalva e em relação ao movimento ser primariamente de alta, minha experiencia no mercado de moedas (Forex), diz que nesse caso (Forex), as ondas são de igual importância e semelhantes, devido ao fato que nesse mercado os movimentos tem base na força (Luta), de uma moeda contra a outra (EUR/USD), (GBP/USD),etc, é como um cabo de guerra. diferente dos mercados acionários.

  • Gabriel

    Observando a escala padronizada pela ferramenta que fundamenta os movimentos em 12345abc, existe sempre uma perspectiva de crescimento no comportamento a longo prazo de um ativo e que os menores movimentos chamados de oscilação de baixa são causados mesmo por momentos de instabilidade seja do consenso geral dos investidores como do próprio mercado. Sendo assim, o comportamento tende a ser a longo prazo um movimento em busca do crescimento que se dá pelo fractal ascendente e que são representados pelos movimentos de euforia do mercado pelo crescimento. Já os movimentos de queda refletem a oscilação ou insegurança que se dá em escalas temporárias inferiores refletindo o medo do que está por vir como uma expectativa que existe acerca de tudo.

  • Pingback: Tá tudo pipocando. Veja os Alertas: PETR4, VALE5, BBDC4, IBOV, CSNA3 Analise Tecnica – Ondas de Elliott e Fibonacci | ElliottBrasil()

  • João Souza

    Realmente as ondas de Elliott são um dos principais indicadores para as oscilações decorrentes na análise técnica, sou trader no mercado de Forex e utilizo-as constantemente, o Fibonacci e as Bandas de Bollinger representam outras ferramentas interessantes mas no mercado financeiro é extremamente necessário muito estudo e cautela para se poder operar com precisão e eu observado tamanha importância que o Elliott nos proporciona dentro do mercado de câmbio.

  • Andre

    Excelente material, Andre!

  • Jose Santos

    Criei meu próprio modelo de fractal sem saber que já existia o modelo de Elliot. Dá para prever o comportamento da Bovespa de longo prazo. Só a economia americana que é muito estranha, parece que o preço das ações lá é empurrado por algum tipo de incentivo artificial.

    • Jose Santos

      E querem saber (de graça kkk). Há alguém imprimindo dinheiro nos EUA e comprando ações para modificar o comportamento do mercado de maneira aritifical. Não sei até onde vai isso, mas uma hora explode.

  • Jessé Gomes Alves

    Excelente explicação, contextualizou de forma profissional. Gostei bastante dos comentários correlacionando a psicologia ao mercado, coisa que poucos fazem dessa maneira. Obrigado.

  • Jessé Gomes Alves

    Só para complementar, estou utilizando o Ponto de Pivot para calculo dos Suportes e Resistências e complementando com esse artigo, bateu exatamente a demonstração no gráfico que estou analisando.

    • Olá, Jessé. Obrigado pelo seu feedback! E legal que você conseguiu verificar a correlação entre o Ponto de Pivot com Ondas de Elliott. Grande abraço, André Mendonça.

  • Narciso Marques

    Muito boa a sua explicação!

    Sou novo no mercado de Trader e, como bom novato, levando uma belo “batizado”, com direito à corredor polonês e tudo mais! Mas sei que é com paciência e estudo que me tornarei um veterano.

    Minha dúvida é…

    Essas ondas respeitam a mesma regra na tendencia de baixa? Ou seja, posso aplicá-la na tendencia de baixa no Day Trader?

    • Fala, Narciso!

      Pelo visto vc já percebeu q o negócio é sério, né? 😉

      Já q vc está começando, sugiro q vc faça operações visando um prazo maior que day trade… Quem sabe uma carteira de curto prazo (1 a 3 meses)… e outra de médio prazo (8 a 24 meses).

      O risco é menor, vc se estressa menos, o custos c/ corretagem é muuuiito menor (isso faz grande diferença no final), além do mais o mercado atualmente está oferecendo essa possibilidade de operações mais longas. Vai por mim. 🙂

      Sobre sua pergunta… a resposta é sim. Porém algumas vezes as ondas corretivas ABC podem ser confusas.

      Um abraço,

      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

      PS: Recentemente tenho publicado as minhas análises nesta comunidade de investidores do seguinte link: http://bit.ly/analise-tecnica-eb. O meu perfil chama-se “ElliottBrasil”. Se inscreve lá tb.

  • Pessoal,

    Tenho publicado as minhas análises nesta comunidade de investidores aqui:
    http://bit.ly/Analise-Tecnica-ElliottBrasil

    Minha sugestão:

    1) Crie o seu perfil tb

    2) Encontre o meu perfil “ElliottBrasil” (vc tem a opção de me seguir)

    3) Use a plataforma gráfica deles. Excelente qualidade e totalmente grátis!

    Um abraço,

    André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

    Ps1: Mande suas perguntas!

    Ps2: Vc sabia q eu ministro um curso sobre Ondas de Elliott? Segue o link:

    http://www.elliottbrasil.com/analise-tecnica/curso-de-analise-tecnica-1/

    https://uploads.disquscdn.com/images/321d464fa03a064a4243ba9edb48e5e0d4062efbe59341a778a45a6b613c69a7.jpg

  • Pessoal,

    Tenho publicado as minhas análises nesta comunidade aqui:
    http://bit.ly/Analise-Tecnica-ElliottBrasil

    Minha sugestão:

    1) Crie o seu perfil tb
    2) Encontre o meu perfil “ElliottBrasil” (vc tem a opção de me seguir)
    3) Use a plataforma gráfica deles. Excelente qualidade e totalmente grátis!

    Um abraço,

    André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

    Ps: Vc sabia q eu ministro um curso sobre Ondas de Elliott? Segue o link: http://www.elliottbrasil.com/analise-tecnica/curso-de-analise-tecnica-1/

  • Pessoal,

    Tenho publicado as minhas análises nesta comunidade aqui:
    http://bit.ly/Analise-Tecnica-ElliottBrasil

    Minha sugestão:

    1) Crie o seu perfil nessa comunidade tb
    2) Encontre lá o meu perfil “ElliottBrasil” (vc tem a opção de me seguir)
    3) Use a plataforma gráfica deles. Excelente qualidade e totalmente grátis!

    Um abraço,

    André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

    Ps: Vc sabia q eu ministro um curso sobre Ondas de Elliott? Segue o link: http://www.elliottbrasil.com/analise-tecnica/curso-de-analise-tecnica-1/

  • Fabio Gimenez

    Muito Bom seu artigo, adoro elliot e opero utilizando a teoria das ondas desde 2012. Gostaria de fazer uma duas observações:

    1ª – faltou falar de quando a coisa dá errado, quando a leitura dos indicadores está errada ou quando algum evento cria uma oscilação que destrói o desenho do fractal que está se formando, dai acho que seria prudente incluir um sub-tópico para falar sobre o stop da operação, e também de relações de ganho/perda eu costumo usar 5/2, no seu exemplo de operação no item 8º da sua lista, no trade de BRFS3 eu entraria na região de R$ 52 como o sugerido, após o candle de reversão de um fractal menor, colocaria um stop em R$ 49 (região de desconfiguração da onda 1) e ganho em R$ 59,50, assim eu sugiro colocar um sub-item para quando a operação falha, principalmente por que vejo isso o tempo todo nos fractais menores e quanto menor o fractal maior a probabilidade dele ser imperfeito, assim o desenho das ondas 12345ABC pode falhar. Sei que minha observação seria mais pertinente sobre um aprofundamento do assunto, mas valeria pelo menos mensionar que stop e relação de ganho/perda são tambem métricas fundamentais.

    2º – Sugiro também incluir que entre a onda 3-4 normalmente encontramos um pivot ‘abc’ de menor amplitude, pois no inicio de minhas operações caia sempre nesse trick, e ainda hoje esse trick me pega as vezes.

    Em tempo, achei muito boa mesmo a construção da lista de 10 itens para o conceito, em especial para a tabela de comparação dom Dow.

    Forte abraço e um ótimo 2017 pra vocês.

    Abs,

    • Obrigado pelas observações e pelo seu feedback, Fábio!

      Assim que eu tiver um tempo a mais vou acrescentar uns subtópicos sim.

      Gde Abraço,
      André Mendonça

  • Henrique Mroczek

    Boa tarde.
    Opero no intraday baseado em suporte/resistência com o auxílio de leitura de fluxo, mas nunca estudei a fundo a caracterização das ondas de Elliott. Você me recomenda algum livro onde consiga ter um conhecimento mais aprofundado sobre o assunto, de forma que eu consiga adicioná-lo à minha estratégia operacional?
    Desde já agradeço.

    • Olá Henrique,

      Pois é… acho que vc já percebeu que Ondas de Elliott é importante. E eu, além de confirmar isso, ainda acrescento que Ondas de Elliott é fundamental.

      Muita gente ainda não percebeu, mas este método é a base para o entendimento da dinâmica do preço. O entendimento desta dinâmica, suas regras e métricas, nos permite não só uma visão detalhada do curtíssimo prazo como também do longo prazo – os chamados super ciclos. E a partir do momento que você tem a compreensão, você tem estratégias claras que poderão se juntar ao conhecimento sobre análise técnica ou fundamentalista que você já tem na sua bagagem.

      Sobre recomendação de livros, eu prefiro deixar que você mesmo veja os reviews feitos pelos leitores (link abaixo). Há muito livros sobre o assunto, mas todos em Inglês.
      https://www.amazon.co.uk/s/ref=nb_sb_noss_2?url=search-alias%3Dstripbooks&field-keywords=elliott+wave&rh=n%3A266239%2Ck%3Aelliott+wave

      (Não quero te recomendar um porque não tenho preferência por nenhum… todos acrescentarão algo relevante… é só uma questão de dar o primeiro passo)

      Um abraço,

      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

  • joice santos

    Obrigado, André. Conteúdo de muita qialidade

    • Obrigado você pela visita, Joice.

      Estou à disposição.

      Cordialmente

      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

  • Wilson Dussilek

    Uou, Sensacional seu artigo, parabéns me ajudou muito !!!

    • Thanks, Wilson.

      Fique atento nos mapeamentos gráficos das Ondas de Elliott que provavelmente no final de Dez ou durante Jan/18 o mercado irá dar uma boa oportunidade de compra.

      Um abraço,
      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

  • Flavio Ricardo

    Ótimo artigo Andre, muito fácil de entender.

    • Valeu, Flávio! Fique atento ao mercado atual (21/12/17)… nos próximos dias ou semanas teremos poderemos ter várias oportunidades de compras… setor de bancos normalmente sai na frente.

      Um abraço e feliz natal!

      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

  • Paulo Oliveira

    Gostaria de saber como identificar quando um um movimento contrário a tendencia não forma outra onda, como na imagem antes do 8° tópico na formação da onda 3. Obrigado 🙂

    • Olá, Paulo.

      Não entendi 100% a sua pergunta… Porém acredito que o foco da sua questão é como identificar a dinâmica de uma onda específica (onda 1, ou 2, ou 3, ou 4, ou 5, ou A, ou B, ou C), em virtude a possíveis cenários futuros aleatórios.

      Se for isso o foco, infelizmente eu não terei como te responder aqui, pois isso iria requerer explicar regras das Ondas de Elliott (minha adapção simplificada), funcionamento de indicadores e suas relações com a dinâmica do preço, e ainda todo o conceito por trás da métrica do Fibonacci de expansão e retração.

      Porém de forma geral, o método que eu utilizo permite achar padrões gráficos no preço de um ativo financeiro negociado em bolsa, medi-los, monitorá-los, e concluir se eles são mais prováveis ou improváveis. Caso um cenário menos provável ou improvável aconteça, temos que estar preparados para ele antes que ele aconteça. Quando eu falo “preparado” eu quero dizer “ter estratégia” de compra ou de venda.

      De qualquer maneira, sempre existirá um padrão gráfico na série histórica do preço que explicará um movimento contrário (mais estendido ou menos estendido) à tendência, mesmo que esse movimento contrário seja improvável.

      Espero ter ajudado.

      Um abraço,
      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

  • Santiago Vieira

    Caramba, muito bom.
    Valeu!

  • Lidia Afonso

    Gostei muito da postagem,mas tenho uma dúvida, como identificar as ondas, como posso saber em que onda ja esta? Agradeço se responder

    • Olá, Lidia.

      Qd a sua pergunta, vc acabou esquecendo de dizer qual seria o ativo específico q vc gostaria de saber sobre a contagem das ondas de elliott, e tb, ficou faltando dizer em que periodicidade (curto, médio, ou longo prazo).

      Bom, de qualquer forma, acredito que vc esteja se referindo ao Ibovespa…

      Se for isso, na minha última publicação aqui no site (q por sinal já faz bastante tempo – link abaixo), eu analisei o Ibovespa e postei o mapa das ondas de elliott para o curto (gráfico diário), médio (gráfico mensal), e longo (gráfico anual).

      Se você comparar a atual situação do Ibovespa com as minhas 3 conclusões, você constará que até o momento os cenários que eu mostrei ou já aconteceu ou está acontecendo.

      Eu os utilizo como referência para os meu investimentos. Fique a vontade para utilizá-los como referência – porém é sempre saudável consultar outras fontes também.

      http://www.elliottbrasil.com/analise-tecnica/e-possivel-previsao-ibovespa-para-proximas-semanas-e-proximos-10-20-30-anos/

      Bom estudos,

      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

  • Marcel Magno

    Olá mestre, muito boa noite!
    Por favor, me responda por que “nem sempre da para fazer Day Trade com time de 15 minutos ?

    • Olá, Marcel.

      Porque o sinal de entrada (pelo intervalo de 15 min) pode ocorrer perto do final do pregão… digamos… faltando 1h, 2h, ou 3h para o final do pregão. O problema é que o preço para atingir uma projeção de Fibonacci (tendo como referência o intervalo de 15 min; e a estratégia q eu utilizo) pode demorar mais de 3 horas. E neste caso, vc não irá conseguir vender no mesmo dia.

      Aproveitando o gancho… gostaria de deixar claro que não recomendo day trading para ninguém. As estratégias podem até funcionar, mas não existe uma pessoa no mundo que tem ganhos consistentes com esse approach.

      Sendo bem honesto (e isso é a minha opinião), day trading é papo de corretora… é um artifício muito convincente que eles utilizam para manipular os desinformados, com o propósito de aumentar a receita da corretora através de corretagem. O melhor approach para mim é o de curto, médio ou longo prazo… desde que a tendência permita uma operação mais longa.

      Bons estudos!

      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

  • Marlison Mattos

    Cara, muito elucidativo seu artigo. Parabéns. Tô estudando um pouco sob análise técnica e fazendo meus testes com criptomoedas (já que as taxas são muito baixas comparada a bolsa de valores), enfim, já assisti vídeos, e finalmente consegui entender um pouco sobre ondas de Elliot. Ainda to lendo Alexander Elder, que é muito bom e frisa bastante a questão psicológica (o que finalmente to desbobrindo de forma amarga que é a parte mais difícil, rsrs) . Obrigado por compartilhar seu conhecimento.

  • Anderson Cardoso Silva

    Olá, gostei muito das explicações, mas como você mesmo disse que poderia ser complicado, vou dizer onde complicou pra mim. Veja no primeiro gráfico de exemplo do ITUB4: eu não saberia conectar aquele ponto 2 com aquele ponto 3 porque tinha uma ligeira onda entre elas que eu poderia me perder. Observei que podem ser “ruídos” que “borram” o padrão do gráfico onde a linha entre o 2 e o 3 é comprida e a distância desta 3 para o ponto 5 é pequena ou média. Poderia enriquecer com mais detalhes como poderíamos desenhar essas ondas de Elliot sem se atrapalhar na conexão dos pontos 12345abc?

    • Approved

    • Olá Anderson,

      Para que você não se atrapalhe você tem que ter o conhecimento das regras das ondas de Elliott (fundamental); saber utilizar a ferramenta de Fibonacci e seus principais níveis de retração e projeção; e fazer usos de alguns indicadores da análise técnica. Uma vez que você adquire esse conhecimento, você saberá lidar com esses “ruídos” de curto prazo (relativo ao ciclo), e consequentemente entenderá os desdobramentos dos possíveis cenários futuros.

      Ressalto que o meu mapeamento das ondas de Elliott é baseado na minha adaptação a teoria clássica, por isso é possível que você encontre outros investidores fazendo um mapeamento diferente para o mesmo gráfico. Mas isso não é um problema… no final o que importa é saber reagir ao mercado e ter uma estratégia bem definida.

      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

  • jhoNNY

    Simplesmente excelente, mas em relação a Onda 4 estou com uma Enorme dúvida.
    Para ‘quebrar’ o padrão de Ondas de Elliott, a Onda 4 NÃO deve romper o TOPO da Onda 1 ou o FUNDO da Onda 1?

    Ja venho estudado ondas de elliot ha um tempo, e infelizmente muitos ‘tutores’ no youtube, acabando que cada um dizendo uma coisa diferente. Aguardo sua reposta, Muito obrigado pela atenção.

    • Então Jhonny,

      Pela regra clássica registrada no livro “Elliott Wave Principle: Key to Market Behavior” (by A.J. Frost & Robert R. Prechter, Jr.), a onda 4 não pode romper o topo da onda 1. Se houver o rompimento você terá um sinal claro de que outro cenário está em andamento, desta forma o mapa das ondas de Elliott é outro.

      Entretanto, nesse universo têm investidores que fazem adaptações a teoria das ondas de Elliott (onde eu me incluo) com o intuito de simplificar a metodologia e sua aplicabilidade na prática, ganhando assim mais eficiência. Vale ressaltar, que qualquer adaptação tem que estar muito bem fundamentada para que no final o mapeamento das ondas de Elliott faça sentido durante o dia a dia da dinâmica do preço de um ativo.

      No final, o que vc tem que aprender é um método coerente e bem fundamentado, onde você mesmo possa comprovar com os seus próprios olhos que a técnica realmente funciona na prática.

      Bons estudos,

      André Mendonça, MSc, MBA, CNPI-T

  • jhoNNY

    Excelente matéria, mas poderia me passar os Ciclos/Duração das Ondas?

    Grande Superciclo:
    Superciclo:
    Ciclo:
    Movimento Primário:
    Movimento Intermediário:
    Movimento Secundário:
    Movimento Mínimo:
    Movimento Diminuto:
    Movimento Subdiminuto:

    Grande Superciclo: Acredito que seja por volta de 40 anos. Pode me ajudar?

    • Olá Jhonny,

      Particularmente, eu não uso essas nomenclaturas em meu método. Eu analiso as ondas de elliott pelo intraday, diário, semanal, mensal, trimestral, e até o anual em alguns casos. O gráfico anual me dá uma boa noção sobre um possível cenário de super ciclo, por exemplo. O gráfico diário me mostra possíveis cenários para os próximos 1 a 5 meses; o semanal de 6 meses a 18 meses… o mensal, de 1 a 4 anos, e por ai vai…

      O texto abaixo foi tirado do site Wikipedia (e traduzido pelo Google Translate).

      *A classificação de uma onda em qualquer grau particular pode variar, embora os praticantes geralmente concordem com a ordem padrão de graus (durações aproximadas fornecidas):

      – Grande superciclo: multi-século
      – Supercycle: multi-década (cerca de 40-70 anos)
      – Ciclo: um ano a vários anos (ou mesmo várias décadas sob uma extensão Elliott)
      – Primário: alguns meses para alguns anos
      – Intermediário: semanas a meses
      – Menor: semanas
      – Minuto: dias
      – Minuette: horas
      – Subminuette: minutos

      Bons estudos,

      André Mendonça

      Referências:

      * https://en.wikipedia.org/wiki/Elliott_wave_principle#Degree
      * Poser, Steven W. (2003). Applying Elliott Wave Theory Profitably. New York: John Wiley and Sons. pp. 2–17. ISBN 978-0-471-42007-1.

  • Jean

    Parabéns pro conteúdo, muito completo

    • Obrigado, Jean. Precisando de alguma informação extra, é só me me chamar. Abraço, André Mendonça






Declarações nos termos da Instrução 483 da CVM:

O presente relatório é distribuído com o objetivo de prover informações e não representa, em nenhuma hipótese, uma oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer instrumento financeiro, bem como sugestão de investimento. As opiniões contidas neste relatório foram elaboradas de forma independente e autônoma, baseadas em análise técnica, estatística, matemática, julgamentos, expectativas e estimativas e, portanto, não se constituem em expressão máxima da verdade, estão sujeitas a erros e mudança e não é possível garantir que sejam precisas, corretas e completas. É de exclusiva e total responsabilidade do usuário/investidor a utilização das informações continas neste relatório bem como a estratégia de investimentos e, dessa forma, o usuário/investidor não poderá pleitear qualquer tipo de indenização por parte do analista. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação, porém o Analista se reserva no direito de, a qualquer tempo e sem aviso prévio, alterar estas informações.